terça-feira, 28 de junho de 2011

História de amor na rede sem final feliz...

Posted by O amor está na rede On 12:51 23 comments

Boa tarde!

Hoje venho contar uma história de amor na internet que não deu certo.

Muita gente me pergunta se todas as histórias de amor na rede dão certo. E eu respondo com outra pergunta: "Todas as histórias de amor reais (que começam fora da rede) dão certo?". Não. Então através da internet não poderia ser diferente.

A história que conto aqui é de Marcela Gonçalves, uma amiga (por enquanto) virtual, mas que espero em breve poder conhecer pessoalmente. Marcela é autora do blog e futuro livro "Para garotas que querem se casar" e hoje ela está casada... adivinhem? Com alguém que conheceu através da internet.

Mas até encontrar seu atual marido, Marcela passou por histórias que não deram certo. Acho importante colocar este tipo de relato em meu blog para que todos vejam que nem sempre uma história de amor pode dar certo e também para que não percam as esperanças. Aqui vai uma história de amor da Marcela, contada por ela mesma:

PAULO – Uma experiência frustrante
Em 2000, aos 33 anos, me divorciei após 13 anos de casamento e dois filhos e achei a internet um meio confortável de conhecer novas pessoas e me distrair. Na época, não me cadastrei em site de relacionamentos, participava das salas de bate papo do meu provedor Terra.
Lá, encontrei Paulo, de 34 anos, recém separado. Rapidamente nos interessamos um pelo outro, tínhamos passado pelos mesmos problemas e estávamos vivendo uma situação similar e isso bastou para apostarmos em algo mais. Falávamos ao telefone várias vezes ao dia e também pela net. Em menos de um mês fui ao Rio de Janeiro conhecê-lo pessoalmente. Encontrei-o ao entardecer no calçadão de Copacabana. Já havíamos trocado fotos, ele não era bonito, mas não houve surpresas para mim, e eu já gostava do jeito dele calado e tranquilo. Em cinco minutos de conversa, percebi uma dezena de diferenças insuperáveis entre nós. Percebi que ele não gostou do meu jeito falante, da tatuagem que aparecia no decote, do cigarro que por vezes eu acendia. Ele não disfarçou, disse que pensou que eu fosse diferente. Me senti engessada, fiquei sem reação. Minhas amigas que estavam próximas, perceberam o mal estar e o convidaram para ir a uma boate à noite, no que ele prontamente respondeu: “Não temos mais idade para esses programas”. Nos despedimos ali mesmo. Ele ficou tão frustrado quanto eu. Nos deixamos iludir, acreditando que tínhamos afinidades apenas por estarmos passando por um experiência comum - o divórcio. Foi uma experiência que me fez sofrer, mas me ensinou que nem sempre é possível sublimar diferenças em prol de um relacionamento.
O que poderia ter acontecido se essa história fosse hoje, em 2011, não em 2000, e a Marcela tivesse conhecido o Paulo num site de relacionamentos?
1. no site, as pessoas informam se têm tatuagens e piercing no corpo (a maioria dos sites tem esta opção para você assinalar com "X") - então o relacionamento não teria nem começado,
2. as pessoas também informam se são fumantes ou não e se não querem se relacionar com quem fuma, por exemplo - isto também já faria com que ambos não perdessem seus preciosos tempos,
3. se os dois tivessem webcam (naquela época ninguém tinha), já teriam percebido todas as diferenças ali mesmo (provavelmente a tatuagem teria ficado visível, Marcela teria acendido um ou outro cigarro...), sem precisar partir para um primeiro encontro,
4. se ambos não estivessem muito carentes devido ao divórcio, talvez não tivessem se deixado levar fortemente pela idealização do outro e...
5. ainda bem que nada de ruim (além do fato de não ter rolado um clima entre eles) aconteceu, mas a Marcela não deveria ter ido ao encontro dele no Rio de Janeiro - ele deveria ter viajado para conhecê-la - perto de seus parentes e amigos, Marcela estaria mais segura em sua própria cidade.
Viram como através de um site de relacionamentos amoroso é muito mais fácil encontrar o amor? Não desanimem... Logo volto para contar a história feliz de Marcela! E, quem sabe, a sua?
Beijos de Erica Queiroz; O amor está na rede!!!

23 comentários:

Oi Érica! Amei.E engraçado acredita que me surpreendi ao perceber, a partir da sua fala, que tudo isso poderia ter sido facilmente evitado? Mas é legal eu mesma ter constatado, e agora poder contar aos outros, que mesmo não dando certo da primeira vez, eu insisti e deu mto certo. Eu sou uma fiel defensora de que a chance de uma relação virtual dar certo é imensa! Beijos querida!

Herica achei muito legal você ter usado o episodio que acontece em 2000 para dar dicas de começar relacionamento na net hoje.

Parabéns pelo texto.

Uma boa noite

Olá querida amiga Erica!

Histórias de amor, virtual ou não, estão sujeitas a não darem certo. Não há fómula mágica para se encontrar um amor, simplesmente quando tem de acontecer, na internet ou não, vai acontecer. Por isso, esses relatos são importantes.

O que temos de aprender de tudo isso é que temos, sempre e em qualquer situação, nos preservar num primeiro momento e depois mais confiante ir avançando até que o relacionamento possa se solidificar.

Parabéns pelo post!

Bjokas no coração! Saudades!

Gisele

Nossa. Que história triste que foi essa.
Deve ser muito ruim de você marcar um encontro com alguém que conheceu pela internet e depois voltar para casa triste, frustrado, decepcionado. Essa é uma das coisas mais horríveis que acontece com um ser humano.
Aguardo pelo final feliz

Olá querida amiga !!!

Desculpe o sumiço, andei meio enroladinha !!
Mas chegueiii !!

Gostei muito da sua iniciativa de mostrar este tipo de história também e ainda mais com dicas para evitar males maiores ou constrangimentos !!
Adoro o blog da Marcela, ela é uma pessoa incrível e fico feliz que hoje viva uma história que deu certo !
Achei muito rude da parte do moço este comportamento, mas valeu a sinceridade, foi bom que assim ela logo viu que não daria certo dar mais ênfase para a carência que sentiam do que para uma relação com alguém que realmente a ame como ela é e que compartilhe dos mesmos gostos, ou que pelo menos respeite as escolhas dela !

Um beijão para as duas !

Oi minha querida!
Muito interessante você colocar essa história da Marcela (outra querida!) para ilustrar as diversas experiências que a vida nos proporciona. O que não deu certo, depende do ponto de vista. Para aquela busca e necessidade, não deu; porém, para as lições que a Marcela tirou para sua vida, deu tudo certo! Infelizmente é através dessas experiências que encontramos as referências para escolher os caminhos futuros, e isso você demonstrou na sua análise do que poderia ser evitado se fosse nos dias atuais. Acho que essa troca de experiências nos abre os olhos e nos faz ver que a todo momento escolhemos caminhos e temos que estar preparados para o rumo que eles nos levam. Com certeza foram esses caminhos que levaram a Marcela ao seu atual destino e espero, em breve, ler aqui com vocês!
Grande beijo,
Jackie

Às vezes, realmente nos deixamos iludir, acreditando que temos afinidades com alguém da net,apenas por estarmos passando por um experiência comum - contudo, há também o outro lado. Uma experiência comum que aproxima as pessoas pode realmente ser o início de algo importante e duradouro. Isto dependerá das duas - uma andorinha só não faz verão - se as duas pessoas estiverem disponíveis para se conhecer e levar em conta as diferenças e ainda, valorizar a oportunidade de construir algo novo e real, motivados pelos desejos semelhantes e pela vontade de caminharem juntos, dali por diante, tudo levará a uma valorização da vida.
Abraço, Vera.

A Marcela é um docinho de pessoa que também conheço virtualmente um pouco a cada dia...
Mas tanto na rede quanto na vida real a VIDA nos traz essas coisas...
Abraços, minha querida amiga!

nada substitui a impressão pessoal que temos ao conhecer outra pessoa ... apesar de eu achar que o homem ai estava engessado em uma pré-definição de pessoa que ele jamais encontrará na vida real ... não esteve nem aberto a conhecer oq ue o destino lhe apresentava ... ele é que não soube aproveitar a Vida ... uma delícia aqui, Érica .... abraço! ..

Já ouvi não me lembro de quem agora, que as palavras tomam vida nas canetas dos poetas. Passei muito tempo acreditando nisso, mas agora eu vejo que as palavras têm vida muito antes das nossas canetas. Na verdade elas sempre foram vivas. O próprio Cristo que já existia antes de todas as outras coisas existirem Era a palavra encarnada. Cada pessoa é um montão de palavras que nos sugere várias sensações; Umas de alegria, outras de tristeza. Algumas pessoas são contos de terror, outros de amor. Todos somos palavras desde os ossos até os cabelos. O problema é que a maioria das pessoas são palavras jogadas ao vento. A maioria das pessoas são palavras escritas na beira do mar, palavras que são apagadas pelas ondas. Eu sei... Não pudemos ser um dos cem mais, não pudemos descobrir a lâmpada, ou os mistérios da luz. Na pudemos construir o carro, nem fazer o homem ir à lua. Mas só não pudemos por que nascemos agora, somos palavras recém escritas. Mas por favor, lembrem-se destes rostos aqui. Fomos escritos agora, sabemos, mas seremos os que esculpirão o tempo. Me disseram também uma vez que os poetas eternizam as palavras. Lembrem-se disso então até quando puderem. “A maioria das pessoas são simples fatos. Nós é que somos a HISTÓRIA!”

Aprendemos muito com essas história. No mundo virtual e real estamos sujeitos a viver grandes emoções e decepções.

Valeu pelo post.

Um abraço... Gessy

@Marcela

Oi, Marcela.

A verdade é que, quanto mais experiência temos, mais aprendemos o que pode/deve ou não ser feito. O problema é que a paixão é algo delicioso e, às vezes, as pessoas se deixam levar por ela. Muitas vezes têm sorte e nada da mau acontece, mas outras... É por isso que temos que deixar o sentimento de lado e pensar com a cabeça, não com o coração! E persistir sempre pois, quando menos esperamos, o amor acontece!

Mil beijos,

Erica

@Irismar

Oi, Irismar.

Achei legal fazer o comparativo porque antes era bem mais complicado e perigoso conhecer alguém pela net. Você não tinha ideia de quem estava falando com você, se era homem, mulher, jovem, idoso/a... Então é bacana ver como as coisas mudaram, não é mesmo?

Beijos,

Erica

@Gisele

Oi, Gi!

Sem dúvidas, nunca sabemos quando uma relação dará certo. Não importa se ela tem início no mundo real ou no virtual.

Se as pessoas souberem se proteger e dar um passo de cada vez, suas chances de encontrar o amor aumentam sensivelmente. E nós 3 somos a prova viva disso!

Beijos,

Erica

@Daniel

Oi, Daniel. Isso foi há muito tempo, quando ainda não havia webcam - nos dias de hoje, isso dificilmente teria acontecido...

Abraços,

Erica

@Samanta

Oi, Sammy!

Realmente, o cara não foi nada legal - principalmente pelo fato de a Marcela ter se deslocado até o Rio. Mesmo que não tivesse rolado uma química, ele poderia ter sido mais simpático e ter se tornado um amigo. Mas, se ele não quis assim, com certeza saiu perdendo, pois a Marcela é uma pessoa sensacional! E agora ela comemora feliz os 10 anos ao lado de seu marido!

Beijos às duas,

Erica

@Jackie

Oi, querida!

Sem dúvidas, a experiência apenas não deu certo no sentido de que não ficaram juntos. Por outro lado, a Marcela aprendeu lições importantíssimas e hoje é muito feliz por não ter dado certo, uma vez que isso deixou seu caminho livre para conhecer o maridão por quem ela é tão apaixonada!

Beijos,

Erica

@Vera

Oi, querida Vera,

Sem dúvidas, a inexperiência e a falta de conhecimento de como a net e algumas pessoas funcionam fazem as pessoas darem cabeçadas e iludirem-se. A carência também atrapalha muito. Mas, com o tempo, as coisas vão se ajeitando e tendemos a saber com mais consciência o que realmente buscamos.

Beijos,

Erica

@Malu

Oi, Malu. Verdade pura: a rede nada mais é do que uma extensão da vida real.

E a Marcela é mesmo um doce! :-)

Beijos,

Erica

@Curiosa

Oi, Curiosa. Acho que isso acabou acontecendo porque, naqueles tempos, ainda não havia webcam. Muito teria sido evitado se os dois tivessem se visto antes. Mas dava para ver que o cara não era muito "fácil" mesmo, rsss.

Beijos,

Erica

@Emoções

Obrigada por compartilhar conosco estas belas palavras!

Abraços,

Erica

@Gessy

Oi, Gessy. É isso mesmo. Afinal, um é a extensão do outro. Portanto, precisamos sempre nos precaver e não entrar de cabeça em situações desconhecidas!

Beijos,

Erica

oi..tenho 27 anos e a 5 meses conheci uma pessoa mto legal..so nao sei como contar isso a minha familia...pq els sao contra a relacionamento na net...mas sei que essa pessoa pode ser o homem de minha vida...sei que pdoe dar certo..bjuss

Postar um comentário